Voltar para diários

Compartilhar


Diário do Bunker: Dia três

Sobrevivente: Severino Batista escreveu em 19/12/2012

Acordei dentro da cabina do caminhão, com o som do vidro do lado do motorista sendo quebrado, pela cabeça de um dos infectados, o caminhão era alto, mas as horas que eu passei dormindo, foram o bastante para amontoar corpos até que me alcançassem, não era parte do pesadelo, o som da cabeça batendo até penetrar a vidraça, meu medo de disparar novamente, pareceu irrelevante, uma vez, que todos os infectados próximos já estavam ao redor do meu refúgio, então eu mirei bem no meio dos olhos dele e atirei, as tripas de sua cabeça tingiram parede do outro lado, e começaram a escorrer sob o banco do motorista, o corpo obstruiu a passagem de novos invasores, e me deu tempo pra raciocinar, eu observei, e atrás do banco tinha uma caixa metálica de ferramentas, eu abri e tinha um pé de cabra e uma grande chave inglesa, eu usei o pé de cabra pra forçar o painel do caminhão, pra tentar fazer uma ligação direta, ligando os fios que fazem ignição quando se gira a chave para dar partida, mas fui surpreendido por outro infectado, que começou a bater a cabeça do lado do passageiro, outros dois estavam se esticando pra subir ao capô, eu conseguí fazer ignição, passei a marcha e pisei no acelerador, atropelei os que estavam a frente, e derrubei o que estava na janela do passageiro, olhei e vi que o caminhão tinha uma tampa para ventilação no teto, eu a forcei e saí pelo teto, alguns continuaram escalando o capô, eu os empurrei e chutei os rostos com o pé, e rapidamente subi no baú do caminhão, que estava próximo de uma janela de um primeiro andar.
Joguei o pé de cabra pelo vidro, e depois a chave inglesa, terminando de quebrar-lo, e
não tive dúvidas, saltei os dois metros de um vão entre o caminhão e a janela, e caí dentro da casa de alguém, ao me recuperar da dolorosa queda,pude ver os errantes caindo do caminhão em um esforço inútil de me seguir, empurrei mobília contra a janela.  Com o joelho machucado fui mancando de arma em punhos, vasculhando a casa, que estava vazia, achei no banheiro alguns medicamentos, analgésicos e antibióticos, nos guarda-roupas, tinham mais remédios, dessa vez eram coisas de primeiros socorros, que eu já os tinha, mas que nunca é demais, peguei uma mochila que estava pendurada, e guardei tudo de útil, inclusive comida enlatada e instantânea que havia na cozinha, havia um facão perto da cama, que também peguei, e saí espreitando até o térreo, mas estava trancado, tive que arrombar com o pé de cabras, o que fez muito barulho, então eu corri pela rua, e acho que despistei os infectados que me seguiam, até chegar em casa, no trajeto forcei o joelho que ficou ainda mais dolorido, o que me fez valorizar cada centavo gasto num bom aerossol muscular, que me deu alívio quase instantâneo.
Anoiteceu, e eu estou cansado, amanhã eu continuo com o diário, e com a mudança pro topo do prédio.      
 
 

Fim do dia 3


Colaborador Perdido

Infelizmente o colaborador Deadshot foi pego por uma horda e seus trabalhos vão ser descontinuados!


Diários Finalizados


Você conhece a história do Dia Z?

Clique aqui e leia a versão completa da história!

Ajude-nos comprando aqui!
:-D

Assista o último vídeo

TragiTopSeven #04 - Baixistas Mais Virtuosos do Planeta