Diários

Compartilhar


Blog Permanecendo no Caos - XXIV

Sobrevivente: João Augusto Silveira escreveu em 20/01/2013

Fiquei muito tempo sem escrever, para você que um dia vai ler este conteúdo, se é que alguém vai ler devido a os últimos acontecimentos, só tenho um conselho. Não confie em ninguém. Como disse em meu ultimo post, os militares estavam vindo me buscar, primeiro uma explosão a algumas ruas do lugar onde eu estava abrigado fizeram a maioria dos mortos saírem para verificar o que era e os que ficaram lá em baixo logo foram abatidos pelos militares, um grupo de uns 12 homens fardados chegou correndo, todos com facões e pedaços de pau, sinalizei para eles e realmente fui resgatado. Você deve estar pensando, o que eu tenho a reclamar certo?

Bom, primeiro descobri que o negocio fora da ilha esta pior do que dentro da ilha, ou seja, minha família provavelmente esta morta, assim como meus amigos, conhecidos e vocês que eram meus leitores. Depois descobri que as coisas nesta “colônia” não eram as mil maravilhas, a comida era divida igualmente, eu tenho que trabalhar para comer a comida que EU trouxe e ainda perdi minha energia, levaram meus painéis solares e simplesmente não me deixam carregar meu notebook, que esta com a bateria por acabar. Provavelmente terei que começar a escrever em um caderno, afinal odeio todo mundo neste local. Vou salvar meus documentos em um pendrive, mas mesmo assim não vou abrir mão do meu notebook como eles queriam. Você deve estar me achando um escroto por não gostar de dividir, mas acho que não deveria ficar em uma casta tão baixa com tudo que trouxe para esse acampamento. Meu turno esta para começar, no próximo post falarei sobre como é o lugar onde estamos. E lembre-se, NÃO CONFIE EM NINGUÉM!

Deixe o seu comentario


Douglas Luis de Quadros

Autor: Douglas Luis de Quadros em 14/10/2013

"Criatividade é algo que nasce conosco e leva-nos a loucura se não colocarmos para fora!"


Compartilhar


Blog Permanecendo no Caos - XXIII

Sobrevivente: João Augusto Silveira escreveu em 31/12/2012

Estou muito feliz, consegui me comunicar pelo rádio amador com um homem, ele disse que tem um grupo de sobreviventes vivendo em uma montanha próxima da cidade, consigo avistar a montanha aqui de onde estou, ele disse que vai tentar vir me buscar, fiquei meio indeciso se dizia minha localização, por que podem ser saqueadores, mais o cara é do exercito, devem estar resgatando pessoas que ficaram para trás. Desculpe gente mais pra mim já chega, estou cansado e depois de ter que matar duas pessoas, acredito que vocês leitores vão me desculpar, assim que eu voltar a civilização já vou postar todo esse conteúdo na internet, para todo mundo ficar sabendo o que passei. Eles falaram que vem me buscar amanhã, então o negócio é me preparar.

Deixe o seu comentario


Douglas Luis de Quadros

Autor: Douglas Luis de Quadros em 18/03/2013

"Criatividade é algo que nasce conosco e leva-nos a loucura se não colocarmos para fora!"


Compartilhar


Blog Permanecendo no Caos - XXII

Sobrevivente: João Augusto Silveira escreveu em 30/12/2012

Consegui dormir, mas não descansei afinal pesadelo atrás de pesadelo tornaram minha noite em um inferno.  Acordei já era meio dia, o que não quer dizer muita coisa nos dias de hoje, comecei o dia cansado e com fome, o que é bom. Choveu a noite o que fez o cheiro de podre diminuir, notei que eles estão mais agitados também, acredito que seja por causa da refeição que fizeram ontem. Consegui comer sem vomitar finalmente, e a tarde fui ao apartamento do lado tentar entrar, e consegui. Dentro do apartamento encontrei algumas pilhas, nenhuma comida, algumas lanternas e uma faca muito bem afiada que talvez seja útil algum dia. Subi até o terraço para tentar algum sinal no radio amador... E nada.  Começo a imaginar se não sou a ultima pessoa viva nesse lugar, espero que meus pais estejam bem, minha mãe deve estar morrendo de preocupação agora me arrependo de não ter me despedido dela, coitada da minha mãezinha. Deus, 16 dias e contando, ainda resistindo, mas não sei por quanto tempo mais.

Deixe o seu comentario


Douglas Luis de Quadros

Autor: Douglas Luis de Quadros em 07/03/2013

"Criatividade é algo que nasce conosco e leva-nos a loucura se não colocarmos para fora!"


Compartilhar


Blog Permanecendo no Caos - XXI

Sobrevivente: João Augusto Silveira escreveu em 29/12/2012

Que merda, não consigo tirar aquela cena da minha cabeça! Os dois sendo comidos vivos, e eu olhando sem puder fazer nada! Que Deus me ajude a esquecer o que aconteceu.
Passei a tarde toda com o estomago embrulhado, já vi que vou voltar com minha dieta forçada, fiz as contas e vi que estou aqui trancado já faz 15 dias e pra mim parece uma eternidade. Quando anoiteceu fui tentar dormir, e nada... Não consigo parar de olhar para a porta, como se estivesse esperando que aquelas criaturas entrassem aqui, acho que dessa vez realmente nunca fiquei com tanto medo na vida. Quando me dei conta já era de manhã, fui comer e acabei vomitando, acho que realmente é melhor eu me entreter um pouco. Vou ficar o resto do dia tentando dormir, estou me sentindo um lixo e assim não tenho condições de fazer nada. Amanhã vou tentar entrar em outros três apartamentos do meu andar para ver se não encontro nada útil.       

 

Deixe o seu comentario


Douglas Luis de Quadros

Autor: Douglas Luis de Quadros em 06/03/2013

"Criatividade é algo que nasce conosco e leva-nos a loucura se não colocarmos para fora!"


Compartilhar


Blog Permanecendo no Caos - XX

Sobrevivente: João Augusto Silveira escreveu em 28/12/2012

Acordei com barulhos de tiros, corri até a cobertura na esperança de que seria o exército vindo limpar a área, sei que não é correto falar assim, mais não tenho mais pena destas coisas, cheguei a conclusão que estão todos mortos, mas continuando... Quando cheguei na cobertura vi que não era o que eu estava pensando, na verdade mais ou menos, eram militares e estavam limpando a área, só que eram os dois militares que estavam no prédio do outro lado da rua, estavam vindo na direção do meu prédio e eles não tinham a menor chance. Eles corriam em direção ao meu prédio gritando, infelizmente eram muitos mortos, não consegui ver direito o que aconteceu, só sei que algo pulou nas costas de um deles, o outro virou para ajudar e foi agarrado e logo aquilo virou uma carnificina. Não tive tempo de reação, não pude ajudar e por isso me sinto um merda.

Deixe o seu comentario


Douglas Luis de Quadros

Autor: Douglas Luis de Quadros em 23/02/2013

"Criatividade é algo que nasce conosco e leva-nos a loucura se não colocarmos para fora!"


Compartilhar


Blog Permanecendo no Caos - XIX

Sobrevivente: João Augusto Silveira escreveu em 27/12/2012

Ao voltar para o meu apartamento resolvi tirar aquele corpo enforcado, então coloquei luvas de limpeza, um antigo macacão com bota acoplada que meu pai utilizava para pescar, e fui remover o corpo, subi em uma cadeira e cortei a corda, o corpo caiu feito uma pedra no chão, levei o corpo até  o outro que ainda estava queimando e os coloquei juntos, o cheiro de carne podre queimando quase me fez vomitar, consegui segurar a ânsia de vomito com muito custo, mais ainda precisava voltar e para o meu andar e limpar o apartamento dos mortos. Depois de limpa-lo procurei por coisas úteis, parei na frente de uma foto de família e desabei a chorar, até agora quando me lembro daquela família feliz, da qual eu matei dois de seus integrantes, meus olhos enchem-se de lágrimas, no total eram três pessoas: A mãe de todos, uma senhorinha que deveria ter uns cinquenta anos na foto (provavelmente a senhora que tive que matar primeiro), um senhor que deveria ter uns cinquenta anos também esse deve ter saído nos primeiros dias ou talvez já tenha falecido e por último um homem de uns trinta e poucos anos que foi o que eu tive que matar por último. Na verdade eu não sei se realmente matei eles, dado o fato que provavelmente já estariam mortos graças ao estado que estavam. Consegui algumas latas de conserva, e uma coisa realmente interessante, uma espingarda provavelmente usada para caçar e 20 cartuchos de munição. Isso talvez consiga trazer os militares até aqui, ou talvez me defender deles, não sei se realmente serão confiáveis, podem vir e querer ficar com meus mantimentos para eles, tenho que ter muito cuidado em quem confiar. Vou comer agora e dormir um pouco, amanhã resolvo isso.

Deixe o seu comentario


Douglas Luis de Quadros

Autor: Douglas Luis de Quadros em 09/02/2013

"Criatividade é algo que nasce conosco e leva-nos a loucura se não colocarmos para fora!"


Diários Finalizados

Limpar


Você conhece a história do Dia Z?

Clique aqui e leia a versão completa da história!

Ajude-nos comprando aqui!
:-D

Assista o último vídeo

TragiTopSeven #04 - Baixistas Mais Virtuosos do Planeta